domingo, 13 de dezembro de 2009

empty.

Nada mais eu sinto além de solidão, vontade de correr e gritar, e mandar pro inferno tudo e todos. Porque dentro de mim tudo é vazio, tudo é escuro, tão escuro quanto a noite mais gelada do inverno, que consome tudo dentro de nós, aumenta nossos medos e afunda o desejo de se libertar. Sair deste abismo no qual somos obrigados a nos jogar cada vez que abrimos os olhos, cada vez que uma nova lágrima cai em nosso rosto. O ar que eu respiro agora é frio, tão frio quanto meus sentimentos mais banais, tão frio que faz isso me consumir pouco a pouco, e eu sei que em breve já não serei capaz de sentir nada, já não resta mais nada para sentir por aqui. Todos os medos e angústias já foram testados, e nada mais pode deter esta vontade de não estar aqui, a vontade de ver meu corpo se tornar pó assim como um vampiro sobre a luz do sol; e não mais voltar, porque desejar fazer parte deste mundo é o mesmo que gostar de sentir dor, é o mesmo que querer penetrar em um universo cheio de agulhas das quais não fugiremos jamais. Não, isso não é loucura. Apreciar estar aqui,agora é que é loucura.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

she don't belive in love.

“Afeita a olhar para o mundo sempre pelo lado pior; tendo aprendido a amar a virtude, menos pelos encantos desta, do que pelo horror, que deve inspirar o vício; escutando a todas as horas uma voz de moral franca, grandiosa, mas fria e melancólica, abafou, sem talvez o querer, dentro do coração os sentimentos brilhantes, arrojados e ardentes, próprios de sua idade. O amor é por ela considerado uma mentira, ou um abismo.”


(O Moço Loiro-Joaquim Manuel de Macedo)

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

sweet vampire.

Venha me beijar
Meu doce vampiro
Na luz do luar
Venha sugar o calor
De dentro do meu sangue vermelho!
Tão vivo tão eterno veneno!
Que mata sua sede
Que me bebe quente
Como um licor
Brindando a morte e fazendo amor...

Meu doce vampiro
Na luz do luar
Me acostumei com você
Sempre reclamando, da vida
Me ferindo, me curando a ferida
Mas nada disso importa
Vou abrir a porta
Prá você entrar
Beija minha boca
Até me matar...

Me acostumei com você

Sempre reclamando da vida
Me ferindo, me curando a ferida
Mas nada disso importa
Vou abrir a porta
Prá você entrar
Beija a minha boca
Até me matar de amor!

(Doce Vampiro-Rita Lee)

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

shadow.

Não,eu já não quero endenter; tem se tornado muito desgastante pra mim desejar tanto alguém. As vezes é fácil olhar por entre as sombras e enxergar só o teu semblante, e me conforta saber que não é nada além; porque olhar dentro dos teus olhos não consigo mais, me destrói,pouco a pouco; e eu sinto que o vento fica mais forte e vou me desfazendo; em breve já não sou mais eu, não sou nada nem ninguém.
Os teus olhos castanhos que despertam em mim um vazio, estão olhando em outra direção agora, e eu sei,que não é,e nunca será,pra mim.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Wuthering Heights -1

Terminei de ler o livro 'O Morro dos Ventos Uivantes' de Emily Brönte,e fiquei muito triste,porque já estava me sentindo parte da história de Heatchcliff e Cathy. Vou postar um trecho que me chamou muita atenção.


"Sou obrigado a concentrar minha atenção para respirar, a obrigar quase meu coração a bater!É como se eu tivesse de fazer dobrar-se uma mola endurecida. É com constrangimento que executo o menor dos atos que não estão determinados por meu pensamento único; com contrangimento que presto atenção a tudo quanto,vivo ou morto,não está associado a idéia que me obceca. Não tenho senão um desejo,para o qual tendem todo o meu ser e todas as minhas faculdades. E eles tenderam para isso a tanto tempo e com tal constância, que estou convencido de que ele será satisfeito...E dentro em breve... Porque ele devorou minha existência: Estou tragado pela antecipação de sua realização."




sexta-feira, 6 de novembro de 2009

give me some love.

Apenas um sopro de vento nos teus cabelos exalam tanto perfume, um perfume que só eu posso sentir; então eu sei que estás perto,e assim posso sentir também o teu calor. Mas ele não me aquece.Não,nem um pouquinho sequer. Junto ao calor do teu corpo eu sinto a frieza do teu olhar, teus olhos que jamais olharam nos meus, que eu sei que dificilmente vão olhar.
Pensar que poderia ter sido diferente... Eu teria me privado de tantas lembranças, tão boas e tão dolorosas, o meu mais doce prazer vem seguido do mais doloroso castigo! V.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

loneliness

Depois de tanto tempo eu já sei que é inútil insistir,sei que nada vai acontecer porque não tinha mesmo que acontecer;estás mais distante do que nunca,teus olhos não encontram mais os meus a tanto tempo. Como eu queria te tocar novamente,sentir o teu calor; não posso nem implorar pra me deixar ficar,porque tu não estás aqui,e se bem me lembro,nunca esteve. Deixou eu cair e sangrar sozinha,sem ter porque levantar; falou da boca pra fora, tantas palavras bonitas,essas que eu insisto em escutar,em acreditar mesmo que seja só naquele momento. Me cansa essa luta constante entre razão e coração, a certeza de saber que nada é real, mas ainda assim sonhar que um dia vai ser.
Quando tuas mãos tocam nas minhas, mesmo que seja o mais breve possível, eu já não sou mais eu; eu caio,e não consigo ouvir outra coisa além da tua voz,que sempre insisto em escutar esperando que seja uma vez real;essa voz que escuto com a certeza de saber que o pior está por vir. O nosso infinito sempre se desfaz,o mais bonito pra mim já se tornou algo tão comum para você; e o que eu sinto é vazio,o vazio de saber que todas as tuas palavras já serão pó amanhã. Eu penso muito no amanhã. V

sábado, 17 de outubro de 2009

so let me go.

Se não me queres,então deixa-me ir. melhor estar sozinha e longe de ilusões do que ter-te ao meu lado enquanto seguras as mãos dela. saibas tu que brincadeiras tem limites,e com sentimentos não se brinca. aviso-te,meu amor,que a paciência desta que te espera esta no fim; e as cicatrizes que tens deixado neste coração não vão se curar jamais. não finjas que te preocupas,eu sei que não. Não tente dizer que nada fazes,porque sabes,bem no fundo,sabes o que fazes. Falas tanto da boca pra fora,provocas tanto estas ondas de calor que percorrem o meu corpo, e ao invés de olhar nos meus olhos,com ela foges. Foges porque sabes,que aqui tem um coração destruído que ainda te quer,foges porque sabes,que quando voltares,ele ainda estará aqui. Destrói tudo que há de bom em mim,e voltas,como se nunca tivesses ido embora,espero um dia me cansar dos teus olhos,meu amor. Ah,eu cansarei.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

simple plan,my loves.


Três coisas que escrevi pra eles hoje,que eu acho que definem muito bem,mas não suficientemente,o quanto eu amo essa banda. Acho digno incluir eles aqui,pelo menos uma vezinha.

Eu amo vocês.Amo,amo com todas as minhas forças,amo tanto que nem consigo explicar;as pessoas podem falar o que quiserem,chamar de modinha,dizer que é só uma fase,mas esses cinco anos que vocês fazem parte da minha vida são o suficiente pra provar que não é clichê.Não,é um amor,maior do que qualquer coisa que eu já senti.É mais que simples admiração pela música,é mais que me identificar com cada palavra que dizem,eu AMO VOCÊS incondicionalmente,amo cada um de vocês 5;Chuck,David,Jeff,Pierre e Sebastien,cada um com o seu jeitinho,cada sorriso,cada gesto,a voz de vocês,a forma como cada um é tão diferente do outro,e o quanto se completam,dando continuidade a melhor coisa que aconteceu na minha vida,o Simple Plan.E eu sinto falta daquele 18/03 todos os dias,embora não pareceça.Uma parte de mim morre cada dia que eu não vejo vocês ali,na minha frente.Mas é minha melhor lembrança,e não importa o quão longe estejam,são vocês,o meu motivo de sorrir. EU AMO VOCÊS,INCONDICIONALMENTE. E nada vai tirar vocês de mim ♥

Cantem,cantem o mais alto e claro possível,cantem para mim.Façam mais e mais lágrimas cairem dos meus olhos,tantas lágrimas de alegria,tantos sorrisos que me arrancam só de pensar em vocês. Cantem,e tirem de mim tudo que há de ruim,cantem e me façam esquecer todos os problemas,toda a dor de não estarem por perto.Cantem,façam com que eu sinta que estão aqui.Cantem,me deixem ouvir suas vozes mais uma vez,repetidamente,incansavelmente,como se o resto do mundo estivesse em pausa,e só o que existisse fosse esse momento,a música,tomando todo o meu coração,preenchendo o meu ser. Cantem e sejam mais uma vez,a melhor parte de mim. ♥

Pierre Charles Bouvier: Eu me pergunto porque estas tão longe. É tão injusto, um sentimento tão bonito escapando por entre meus dedos,só porque estás lá,do outro lado do mundo. Meu amor,meu gordinho,make it real. Preciso da tua voz. Eu te amo meu Charles,eu te amo. te amo,te amo,te amo... ♥

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

you're not the one.

É que cada vez que eu penso em você comigo,sei que é um sonho.E toda vez que eu digo que te amo,é pra mim mesma.Você já não está mais aqui para me escutar.E quando você ria,ria das minhas piadas que sequer tinham graça,quando me procurava na saída da escola,nem que fosse só pra dar um 'Oi'.
Todo momento perto de você era perfeito.Meus dias eram sempre tão bons,tão repletos de alegrias,sorrisos. Agora já esta tudo escuro,pra onde você foi? Onde esta aquela pessoa que fazia meu coração bater tão forte? Eu quis te ter só pra mim,mas quis demais...Você foi apenas um sonho,tão bom que cedo acabou.Uma mentira.
E toda vez que fecho os olhos,é por você que perco a razão,viajo para outro mundo,sem direção.Mas se não é recíproco,então realmente não vale a pena,não é pra ser. Porque perto de você,eu ficava tão boba,e mesmo tentando fingir que está tudo bem,não esta. E quando eu escuto da tua boca que eu sou idiota,aí sim,eu tenho plena certeza,de que não é você.
Não é você que vai me fazer feliz,afinal a única coisa que tens feito é me machucar cada dia mais;não é você que eu quero amar pro resto da vida,não pode ser você.
Esquecer...Pudera eu simplesmente esquecer,passar por você e simplesmente sorrir,sem sentir esse vazio.
De qualquer forma eu deveria agradecer;por fazer tanta questão de ser insignificante e me fazer entender,que por mais que eu te ame,não é você o que vai fazer parte de mim.
Eu mereço mais,muito mais.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

the ones who loved.

Os feridos por amor, ao contrário dos feridos em conflitos armados,não são vítimas nem algozes. Escolheram algo que faz parte da vida, e assim devem encarar a agonia e o êxtase de sua escolha.
E os que jamais foram feridos por amor, não poderão nunca dizer:"Vivi".Porque não viveram.
(Paulo Coelho)


i'll let you go.

Exatamente como naquela época do Romantismo, em que todos os poetas escrevem dando a entender que desistiram do seu amor, eu desisto (ao menos tento desistir).
Desisto mais insisto , insisto em te querer, em te amar. Desisto, já sei o que é real e o que não é, o que pode ou não acontecer; e vai ser semrpe assim; eu te amando tanto, e tu sempre olhando em frente, mas nunca para trás, nunca para mim.
Por mais que eu queira eu não consigo esquecer, e eu já sei, um dia vai passar, vou deixar de te amar, vou querer outro alguém, olhar no fundo de outros olhos e esquecer os teus azuis.
Quando não for mais tu o meu amor, quando eu conseguir seguir em frente, aí enão talvez tu enxergues, que tanto tu perdeste, porque eu, que tanto te amei, já não estou mais aqui. Talvez tu enxergues que esperei tanto tempo para te ter, sempre em vão, e percebas que neste tempo poderíamos ter sido felizes sim, e então vais querer usufruir de um alguém que já se foi, de um alguém que desistiu. One day you'll take the blame (:

domingo, 27 de setembro de 2009

we both loose


Ao te perder,nós dois perdemos...
Eu,porque tu eras o que eu mais amava .
E tu, porque era eu, aquela que te amava mais.
Mas de nós dois, tu perdestes mais que eu.
Porque eu poderei amar a outros como amava a ti.
Mas a ti ninguém amará como eu amei.

Não sei o autor,mas amei.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

i've tried so hard

Mas por tantas vezes eu tentei, eu quis te olhar e não te ver; quis correr,quis desistir de lutar,mas teus olhos,eles não permitem te deixar. Deixar,deixar você ir embora,sair do meu peito e terminar com este amor. Este amor,este que é tão profundo,este no qual eu me afundo,que me afoga em solidão.
Teu coração,este que não se permite me amar,que insiste em sempre me deixar,este teu coração,este que sempre me atinge,me aflinge,e me dá margem para mais ilusão. Ilusão,esta que eu insisto em sustentar,que não quer me abandonar, que aqui permance,que me enlouquece,que me persegue sem hesitar.
Mas por tantas vezes eu tentei, tentei não mais te amar,tentei não mais falar,tentei não mais te querer; mas foi sempre em vão,em vão... Porque meu coração,este que já nem sei mais onde está,essas cinzas que se esvaiam ao te olhar,essa chama que temo que jamais vá se apagar. Apagar...Mas por tantas vezes eu tentei, e tu permaneces aqui,aqui dentro;tão frio,tão belo,tão perto,tão longe.
Eu quis deixar passar mas nada posso fazer,se é no azul dos teus olhos que eu quero me perder.
Mas por tantas vezes eu tentei...
"Beijo Eterno"
Diz tua boca: "Vem!"
Inda mais! diz minha boca ao soluçar...Exclama

Todo o meu corpo que o teu corpo chama:
"Morde também!"
Ai!morde!doce é a dor

Que me entras as carnes, e as tortura!
Beija mais! morde mais! que eu morra de ventura,

Morto por teu amor!

(Castro Alves)

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

were'd you go?

Sempre vou falar neste mesmo assunto,esta sombra que faz meus dias cada vez mais obscuros. Tua presença constante, e distante. Teus olhos nos meus, vazios,escuros. Teu calor que nunca mais pude sentir,tua pele junto a minha,tuas mãos nas minhas mãos,teu perfume,tua voz;cada dia mais distante. Qualquer movimento que eu faça,qualquer pequeno pedaço de mim estará sempre,sempre ligado a ti,sempre tentando ser o que tu precisar que eu seja.Eu sempre tão perto, e tu,sempre tão longe. Sempre longe.
Quanto mais eu corro mais eu perco,mesmo que em tua direção estarei indo contra,contra tudo que me faz bem,corro para ti sabendo que ao te olhar,não vou mais poder sorrrir. Tudo que eu tenho é a mim mesma,e ao meu próprio instinto de auto-destruição;esse que eu insisto em seguir,porque junto dele é onde tu te encontras,e onde tu te encontras,é onde que quero e preciso estar. Custe o que custar.


domingo, 20 de setembro de 2009

10 things i hate about you.





"Odeio o modo como fala comigo
E como corta o cabelo
Odeio como dirigi o meu carro
E odeio seu desmazelo
Odeio suas enormes botas de combate
E como consegue ler minha mente
Eu odeio tanto isso em você
Que até me sinto doente
Odeio como está sempre certo
E odeio quando você mente
Odeio quando me faz rir muito
Ainda mais quando me faz chorar...
Odeio quando não está por perto
E o fato de não me ligar
Mas eu odeio principalmente
Não conseguir te odiar
Nem um pouco
Nem mesmo por um segundo
Nem mesmo só por te odiar"

terça-feira, 15 de setembro de 2009

stay with me,or watch me bleed.

Eu só queria compartilhar contigo os meus momentos felizes,queria que tu fizesse parte deles. Sempre que eu consigo te manter longe,tu voltas; e voltas com tudo,como que apenas para ter certeza de que ainda estou me perdendo em teu perfume. Achas justo o que fazes comigo? Queres me manter presa enquanto corres. Sonho em me ver livre da tua sombra, em conseguir desviar do teu olhar,fazer com que sintas o mesmo que eu sinto quando vais embora.

"He's been running troght my dreams,and it's driving me crazy..."


quinta-feira, 10 de setembro de 2009

i realize...



Tava me perguntando como é possível sentir saudade de algo que nunca tive. Talvez seja um tipo diferente de saudade, ou uma vontade muito grande de ter esse alguém por perto. É que eu olho as fotos, eu lembro das coisas que eu queria que acontecessem, que eu criava e ainda tinha esperança de tornar real, ai eu vejo que tudo não passou de ilusão; eu já tinha percebido, mas por um minuto queria acreditar de novo que ia acontecer. Sonhei ai então eu percebi que tudo que eu fingi não sentir por tanto tempo, isso que eu tentei esconder de mim mesma só pra amenizar a dor, foi em vão. Porque esse sentimento continua aqui, eu luto pra não pensar, mas no final, eu sei muito bem o que eu sinto, e não quero mais sentir. Queria poder mandar isso embora, pra finalmente ter paz e seguir em frente sem que isso me torture; apagar de mim tudo que já doeu, e me concentrar em alguém que realmente se importe. Mas é sempre em vão. Cada olhar não correspondido e cada palavra que eu queria dizer e não disse também cada minuto dos meus dias em que eu sentia a rejeição, e tanta coisa que ouvi que me dilacerou, apenas algumas palavras conseguiram destruir qualquer vestígio de positividade que existisse em mim. Mas tudo que vai, volta; pelo menos assim espero.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

my poison.

Paro e penso por alguns instantes, intermináveis instantes; na forma com que tu olhas para mim, tão cínico e tão irresistível. Tua cara de inocente na qual eu vejo as tuas intenções. Tu és o meu veneno, minha dose diária de cicuta, aquela que me mata lentamente,fazendo eu sentir cada parte do meu corpo se desfazendo, bebo sem pensar desse frasco de veneno, o mesmo que eu insisto em ignorar o aviso de um pequeno pedaço de papel escrito “não beba”, esse frasco pelo qual eu tenho uma atração tão inevitável, que trás a tona o melhor e o pior dos sentimentos, o prazer em sentir dor,e querer sempre mais. Implorar por esse veneno que tu és para mim, MAIS! Quero mais, quero mais de tudo que faz parte de ti em mim, quero que tu penetres em minhas veias, consuma todo o meu ser. Deixa eu ser o teu semblante, deixa eu te mostrar o meu amor, deixa eu fazer parte de ti; bebe do veneno que te ofereço, te arrisca. Esquece que existem outras coisas ao redor, façamos um mundo só nosso. Posso ser para ti muito mais do que imaginas, é só violar o aviso do meu frasco, é só dar uma chance pra eu te mostrar que posso ser tua heroína, que posso ser tua, tua e somente tua, exatamente do jeito que gostas; deixa eu te mostrar que te conheço como mais ninguém conhece. Não quero mais manter meu amor em segredo, quero que tu sejas todo o resto da minha historia, quero a tua beleza ao meu lado todos os dias, acordar olhando para os teus olhos claros e perfeitos, meu oceano, meu doce pecado, dou a vida por ti.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

memories that fade like photographs. final

Ele a deixou, este final não poderia ser feliz, ELA HAVIA SIDO AVISADA, mas não deu ouvidos; agora seu coração sofre, machucado pelo vazio de não sentir nada, costurado da forma mais conveniente, só pra não deixar transparecer tantas feridas, pra que ele possa ver ela feliz, mesmo que ela não esteja. Mas ele nunca saberá. Enquanto ele sorrir, ela vai fingir sorrir também; e quando ele chorar, lá estará ela, a menina dos olhos castanhos,para abraçar o menino dos olhos azuis e dizer a ele que vai ficar tudo bem. Ele é o maior sonho dela, mas ele não sabe, ainda; e se soubesse não se importaria. Mas o amor, o amor não é nada orgulhoso, ainda assim, ela estará sempre lá por ele, sempre que ele precisar. E se um dia ela partir,será porque o menino dos olhos azuis chegou tarde demais; as pernas dela vão ficar fracas com o tempo, e a espera chegará ao fim,pelo menos ela reza para que chegue. E ele saberá disso, mesmo que nesse dia, seja tarde demais para ter os olhos castanhos da menina olhando diretamente nos dele, como naquela primeira noite. E então, ele vai sentir a dor que ela sentiu. E tenho certeza, eles vão ficar juntos, mais cedo ou mais tarde.

Termino esta história com uma frase da música do Armandinho,Outra Vida.
"Talvez não seja nessa vida ainda,mas você ainda vai ser a minha vida"

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

memories that fade like photographs. part 3


(...)Os dias passaram, e o sorriso dele já era distante na memória dela, e ela começava a se perguntar o porque; ela não queria sentir aquilo, não precisava daquilo, não naquele momento; exatamente quando as coisas estavam começando a ficar bem; os olhos azuis do menino não saíram da cabeça dela desde então. Ela resolveu falar, falar sobre esse vazio que ele deixara nela desde aquele dia, e qual não foi sua surpresa quando se deu conta de que realmente, ela havia sido avisada. Ele não voltaria. Foi quando o coração dela começou a disparar, bater mais forte do que nunca; seu olhar fixo em suas palavras não acreditavam no que ela havia acabado de ler; como aquele menino dos olhos azuis que lhe proporcionou tamanho carinho poderia agir como se ela não estivesse ali ? seus olhos começaram a ficar úmidos, e vieram as lagrimas, e ela chorava, chorava sem saber exatamente o porque, só sabia que a culpa era dele. Seu coração apertado com as palavras que ele não tinha dito, a dor de saber que seu sonho seria eternamente um sonho.(...)

terça-feira, 1 de setembro de 2009

memories that fade like photographs. part 2

finalmente,o pc foi arrumado e voltarei a postar a história!

(...)Mas já era tarde, ela já tinha se apaixonado por ele, seu subconsciente bem que tentou avisar, mas como sempre, ela não deu ouvidos. E seguiram os dois de mãos dadas rua afora; ele, com seu sorriso e seus olhos azuis sempre perto dela, e ela achando que era muito mais. Novamente, ela foi avisada. Mas como poderia se importar diante de tamanho cavalheirismo? Diante daqueles olhos... ela se perdeu, se perdeu no azul dos olhos dele como quem cai em um buraco no meio de um rio calmo. Ela foi ingênua, se foi... a menina simplesmente não sabia como era ter alguém pra acariciar seu cabelo e abraça-la quando ela tivesse frio; e foi o que ele fez; colocou seus braços em volta do pescoço dela, e o calor passou de um corpo para o outro, e era como se o vento não estivesse mais ali. Já estava tarde, ela começara a adormecer, deitada no ombro dele,como uma criança quando deita no colo de sua mãe. Ela adormeceu ali mesmo, nos braços dele,como ela iria imaginar? Chegar em casa foi seu maior pesadelo, acorde pequena Cinderela, sua noite te fadas terminou. É. Como conseguiria ela dormir pensando naqueles olhos azuis...mas ela fora avisada.(...)